Posts in Category: Curtas

STEAMBOAT WILLIE: há 80 anos nascia o áudio definitivo do curta

Em 30 de setembro de 1928, Walt Disney supervisionou a gravação do áudio que seria utilizado no terceiro curta-metragem estrelado pelo camundongo Mickey Mouse. Utilizando a tecnologia Cinephone System, de Pat Powers (uma cópia descarada do sistema criado por Lee De Forest, o Phonofilm), Steamboat Willie seria a primeira animação da história a apresentar uma faixa de áudio contendo música, efeitos sonoros e diálogos totalmente sincronizados. A primeira gravação, realizada duas semanas antes, acabou sendo inviável e foi descartada.

Considerado a primeira animação a ter uma faixa de áudio totalmente sincronizada, “Steamboat Willie” é um marco, sem dúvida nenhuma, mas outras animações já haviam se aventurado nessa nova tecnologia – como a série Song Car-Tunes, de Max Fleischer, gravado no sistema Phonofilm lançado em maio de 1924, e que incluía o curta My Old Kentucky Home (1926); e o curta Dinner Time (lançado em 1º de setembro de 1928), de Paul Terry - só que sem os mesmos resultados técnicos.

Totalmente animado pelo mestre Ub Iwerks, “Steamboat Willie” foi dirigido pelo próprio Disney e é uma paródia do filme Steamboat Bill Jr., do ator, roteirista e diretor Buster Keaton. É considerado a 13ª melhor animação de todos os tempos pelo livro The 50 Greatest Cartoons: As Selected by 1,000 Animation Professionals, editado pelo historiador Jerry Beck.

“Steamboat Willie” seria lançado oficialmente seis semanas depois, em 18 de novembro de 1928, no The Colony Theater, em Nova York. E o resto é história. :-)

Quer matar a saudade ou ver o curta pela primeira vez? É só dar play no vídeo abaixo, ou acessar direto o site do Dailymotion:

Via Animation – Who and Where

100 ANOS DE ANIMAÇÃO

Há exatos 100 anos – na verdade, 100 anos e um dia – no dia 17 de agosto de 1908, o cartunista francês Émile Cohl lançava Fantasmagorie, considerada a primeira animação produzida considerado o primeiro desenho animado produzido na história.

Depois de filmar seu desenhos (linhas pretas feitas em papel branco), Cohl usou o negativo dessa filmagem, dando o efeito de giz branco em um quadro negro. E você pode ver esse curta inteiro abaixo, ou clicando aqui para ver no YouTube:

1 minuto e 16 segundos, e 700 desenhos depois, o trabalho de Cohl abriria caminho para gênios como Winsor McCay, Walt Disney, Hayao Miyazaki, Tex Avery, Chuck Jones e muitos outros. Sorte a nossa! :-D Palmas e mais palmas para todos os apaixonados, para os profissionais, os amadores e todos que continuam levando a arte e o negócio da animação adiante.

Para homenagear o passado e manter a visão no futuro, o diretor Rastko Ciric produziu o curta Fantasmagorie 2008, exibido pela primeira vez em Paris em 11 de abril de 2008, misturando técnicas 2D e 3D. Veja o curta abaixo ou clicando aqui:

ANIMA MUNDI 2008: o que eu vi, parte 1

Depois de ter furado o Anima Mundi em 2007, consegui comparecer em três sessões do evento de 2008, em São Paulo. Farei três posts rápidos sobre os curtas que assisti. Também tive a chance de participar, pela primeira vez, do Anima Fórum, que foi muito bacana. :-) Sobre isso, farei um post à parte.

A primeira sessão que vi foi a CURTAS 10, na quinta-feira, dia 24, lá no Memorial da América Latina. As notas dadas abaixo, de 1 a 5, seguem o mesmo critério usado pelo festival para votação, e foram exatamente as mesmas notas que eu dei no dia. Os curtas exibidos foram:

:: EDEN, de Hye Won Kim | República da Coréia (2008)
Segundo o site oficial do evento, o animador coreano quis mostrar que o homem é um ser sádico que mata os animais por prazer. Imagens grosseiras, de gosto duvidoso, e uso da técnica de cut-out muito mal feito levaram esse curta direto para o lixo, na minha opinião. Há maneiras mais sutis e inteligentes de se tratar de temas assim. Não gostei nada.
– Nota: 1

:: O TRAMBOLHO, de André Rodrigues | Brasil (2008)
“Um sujeito engraçado, um celular e um ônibus”. É assim que é descrito o curta do brasileiro André Rodrigues no site oficial do Anima Mundi. Com duração de um minuto e quarenta e oito segundos, o que se desenrola são algumas piadas utilizando situações do cotidiano. A animação até que é bem feitinha, mas nada além disso.
– Nota: 3

:: QUIDAM DÉGOMME, de Rémy Schaepman | França (2007)
O que uma ovelha, vivendo no telhado de um prédio, faz com a sanidade de um homem? Essa trama bizonha conta com uma animação bem cuidada, e uma narrativa bem feita.
– Nota: 3

:: YOURS TRULY, de Osbert Parker | Reino Unido (2007)
Um trabalho visual muito interessante, que utiliza cenas de filmes clássicos, fotografias e stop-motion para criar uma história noir. Veja abaixo um trecho do curta no YouTube:

– Nota: 3

:: SENSORIUM, de Karen Acqua e Ken Field | Estados Unidos (2007)
Esse curta é uma daquelas porcarias que me fazem sempre pensar duas vezes antes de ir ao Anima Mundi: vídeos que não dizem nada, que só mostram bolinhas/quadradinhos/objetos/qualquer outra porcaria se mexendo sem sentido na tela. O site do evento descreve esse lixo como “um vocabulário de movimentos visuais abstratos, cada um ligado a uma música específica, é apresentado em combinações cada vez mais complexas, criando uma “trilha sonora” visual”. Resumindo: blablablá BO-RING! Total perda de tempo. Merecia zero, mas a menor nota era 1, então…
– Nota: 1

:: POJAR, Bilyana Ivanova | Bulgária (2007)
A animação é tão tosquinha, a narrativa é tão infantil e a situação é tão delirante que o curta parece ter sido feito em uma oficina de animação. Dois ou três momentos que incitam uma risadinha nervosa, de canto de boca. E só.
– Nota: 2

:: BERNIE´S DOLL, de Yann Jouette | França (2008)
Bizarro, mas no bom sentido. Bernie é um empregado em uma fábrica de comida para animais. Solitário e introvertido, decide comprar um “kit mulher do terceiro mundo” para acabar com a solidão. A animação é em 3D e o conceito visual é caótico, dark, disforme; lembra um pouco colagem de fotos. Você termina de ver o curta e se sente mais triste consigo mesmo. Ainda assim, muito interessante.
– Nota: 4

:: DOSSIÊ RÊ BORDOSA, de César Cabral | Brasil (2008)
Simplesmente hilário! :-D Para mim, foi a melhor transposição do universo de personagens criado pelo cartunista Angeli para outra mídia. É verdade, gostei muito da modelagem dos personagens (a escolha do stop-motion foi genuial) e o estilo “mockumentary”, isto é, um falso documentário, sobre o que teria feito o artista matar sua personagem e cria mais famosa, a Rê Bordosa. A minha única ressalva é técnica: eu entendo que custo e tempo devem ter pesado na decisão, claro, mas poderia haver mais quadros por segundo para deixar a animação mais fluida (em especial o lip sync), pois a interpretação e os gestuais dos personagens estão ótimos! Alguém aí pensa em fazer uma série, ao estilo Harvey Birdman: Attorney at Law, com episódios de 11 minutos em stop-motion com os personagens do Angeli? E com os do Laerte? Hein? Hein? :-D E aproveitando a deixa, descobri um pequeno making-of onde o diretor do curta, César Cabral, fala sobre a produção, direto no YouTube:

– Nota: 5

DOSSIÊ RÊ BORDOSA: stop-motion nacional no Anima Mundi

Um jovem Angeli conversa com Rê Bordosa

Descobri essa sem querer, através do Blog dos Quadrinhos: parece que o universo de personagens do cartunista porra-lôca Angeli continua dando muito pano prá manga para animações. Depois de Wood & Stock – Sexo, Orégano e Rock´n Roll, de Otto Guerra, e dos curtinhas que passaram na Cartoon Network há um tempo, a bola da vez é o curta Dossiê Rê Bordosa, desenvolvido pela Coala Filmes.

Com direção de César Cabral e roteiro de Carla Gallo e do próprio Cabral, “Dossiê Rê Bordosa” é um “mockumentary”, isto é, um documentário falso, que tenta explicar as razões de Angeli por trás da morte da sua mais famosa personagem, a Rê Bordosa, em 1987. E tudo na base do stop-motion, veja você. :-D

No site oficial da produção há galeria de imagens, dois trailers e mais informações sobre o curta, que ganhou dois prêmios no 1o. Festival de Paulínia (melhor curta pelo júri oficial e pela crítica) e que já está passando no Anima Mundi do Rio e tem exibição garantida no de São Paulo. Para saber mais sobre os dias e horário das exibições, visite o site oficial do evento.

Gostei bastante do que vi nos trailers. O visual maluco dos desenhos do Angeli caiu como uma luva em stop-motion. Como só conseguirei ver duas ou três sessões do Anima Mundi desse ano, já me programei para ver “Dossiê Rê Bordosa”, e podem ter certeza que depois eu comento por aqui. :-)

UPDATE: peço desculpas ao Leandro Maciel, pois não citei seu nome como um dos roteiristas do curta. Erro consertado :-) .

PRESTO: a primeira imagem do novo curta da Pixar

PRESTO: a primeira imagem do novo curta da Pixar

Eis a primeira imagem do novo curta da Pixar, Presto, que vai estrear nos cinemas junto com Wall-E. O curta é dirigido por Doug Sweetland, que já trabalhou como animador em diversos filmes como Carros, Toy Story 2, Procurando Nemo e Monstros S.A.

A notícia e a imagem é do site Cartoon Brew.